#HistóriasdeSuperação VII – Outubro Rosa

 

Durante todo o mês de Outubro contaremos as histórias de superação colhidas pelo Instituto Se Toque. Cada história uma emoção diferente. Abra o coração e boa leitura!

Dia da Lívia Hernandes

“Vejo o câncer como uma ponte para o meu crescimento pessoal e espiritual” 

10744996_848877618480174_762688035_n

Faz quatro meses e pouco que Lívia Hernandes, de 27 anos, recebeu a notícia temida. Após detectar, no autoexame, um caroço no peito, o diagnóstico veio logo: era câncer de mama, e ela teria que fazer mastectomia e se tratar com quimioterapia. Na hora pensou: “Mas, eu nem casei ainda! Nem tive meus filhos”.

Nascida em Franca (SP), Lívia é farmacêutica e mora em Ribeirão Preto desde a época da faculdade. Hoje, cursa doutorado em Toxicologia na USP. A Lívia “doutoranda” ao saber da doença logo procurou tratamento quimioterápico para sua cura e congelou os óvulos para resguardar a maternidade no futuro.

A Lívia que segue a doutrina espírita busca alívio para as dores em sessões de meditação e reiki. “Desde o dia em que recebi a confirmação do câncer de mama, escolhi ser ponte”, contou ela ao Se Toque. “Vejo o câncer como uma ponte para o meu crescimento pessoal e espiritual”, explica.

Certa de sua cura, ela dá o seguinte conselho para outras mulheres: “Conheça bem o seu corpo, é o que digo a todas as minhas amigas, primas e irmã. Quando percebi um caroço estranho no meu seio, marquei logo uma consulta com a mastologista.”

Em Ribeirão Preto, ela divide a casa com uma irmã, a sobrinha e uma amiga. Ela preferiu interromper o doutorado para se dedicar à cura. Mas não consegue parar quieta, e acabou se matriculando num curso de corte e costura.

Durante o processo, ela conta com o apoio do namorado, que fica o tempo todo ao seu lado, assim como a mãe – “virou minha sombra”. Pai e irmãos também lhe dão muito apoio. Mas não só eles. Na foto do seu perfil do Facebook, tem uma galera e tanto lhe dando força. Todos com lenços na cabeça, mulheres e homens.

10726618_848877661813503_1313642017_n

Festa do lenço

A ideia foi da própria Lívia. Quando começou o tratamento, fez uma “Festa do Lenço”. Todo mundo tinha que levar um lenço. Ela recebeu ao todo 74 para enfeitar sua cabeça durante o tratamento. “Além de serem lindos, vieram impregnados de muito amor, coragem e paciência.”
Lívia é uma guerreira e merece todo o apoio do Se Toque. Nossa única #HistoriadeSuperaçao que ainda não acabou – mas é inspiração para tantas mulheres de todo o Brasil que lutam para vencer a doença.

Muito Linda sua história. Parabéns!

%d blogueiros gostam disto: